Notícias

Vice-Presidente da República: “Temos de ser capazes de resistir à tentação de privilegiar o imediatismo”
O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, exortou, este domingo [04.04.2021, os angolanos a resistirem ao imediatismo e pediu coragem para que os seus objectivos e sonhos sejam realizados.

“Temos de ser capazes de resistir à tentação de privilegiar as coisas fáceis, o imediatismo e à lei do menor esforço”, afirmou Bornito de Sousa, quando discursava, em Cabinda, no acto central do Dia da Paz e Reconciliação Nacional, em representação do Presidente da República.

O dirigente referiu que “uma das grandes lições a retirar do processo que conduziu o país à Paz, no dia 4 de Abril de 2002, é de que não se consegue nada honroso e digno de valor, sem um mínimo de empenho, esforço e sacrifício”,

O Vice-Presidente da República recomendou, por isso, fé, força e coragem aos angolanos para que possam atingir os seus objectivos e sonhos, dos mais simples aos mais complexos, individuais ou colectivos.

Apelou à defesa da paz e unidade nacional, como forma de honrar a memória dos milhares de jovens que deram as suas vidas na defesa da paz, unidade e soberania do país. “Defender a Paz e a unidade nacional é a maior homenagem que podemos fazer aos milhares de jovens, que deram as suas vidas, sangue e suor por uma Angola una e indivisível, independente e soberana”, afirmou Bornito de Sousa, no acto decorrido no Pavilhão de Jogos Barão Puna.

Bornito de Sousa falou do processo político que culminou com a assinatura, em 2002, do Acordo de Paz, nas antigas instalações da Assembleia Nacional, na presença de representantes de vários sectores da sociedade angolana, países estrangeiros e organizações internacionais.

Também mencionou “a magnitude” do Presidente José Eduardo dos Santos, pela celebração do acordo, que pôs fim a mais longa guerra fratricida de que o mundo tem memória, tendo destacado os benefícios da paz e estabilidade para a melhoria da qualidade de vida das famílias, ensino, saúde, serviços públicos, distribuição justa dos rendimentos nacionais, bem como para manter a economia forte, dinâmica, desenvolvida e diversificada.

“Temos plenas condições para continuar a crescer em paz, unidade e democracia”, afirmou Bornito de Sousa, considerando “importantes” os projectos públicos e privados em curso na província com vista a elevação dos índices de desenvolvimento humano e criação de empregos para os jovens.

Para o Vice-Presidente da República, alguns desses projectos, nomeadamente o Terminal Marítimo de passageiros, rampa de atracagem de Ferry-boats, Porto de Águas Profundas de Caio e a Refinaria de Cabinda terão grande projecção nos países vizinhos e para a região central de África.

Referiu-se à visita que efectuou, sábado, à centenária Igreja de São Tiago Maior da Missão Católica de Lândana, classificada como Património Cultural Nacional e disse tratar-se de “um equipamento social que tem um importante papel para a comunidade cristã desta região, que transcende as questões da fé”.

Bornito de Sousa também recebeu explicações detalhadas sobre a evolução de outros projectos ligados aos Hospitais Geral e Provincial, Pólo Universitário, Estação de Tratamento de Água de Sassa-Zau, fontes de energia eléctrica, Aeroporto Internacional de Cabinda, Pólo Industrial do Fútila, Centralidade de Cabinda, rede de estradas, e de vários outros empreendimentos ligados ao sector agro-pecuário e das pescas.

Projectos em Cabinda

Ao Vice-Presidente da República foi informado que alguns desses projectos estão em fase bastante avançada, enquanto outros ficaram condicionados pela “significativa” redução de disponibilidade financeira por parte do Estado. “No fim das visitas, chamou-me atenção o empenho, a força de vontade, esperança e determinação no rosto dos jovens e empreendedores”, afirmou Bornito de Sousa, afirmando ter ficado também impressionado com as iniciativas ligadas ao relançamento da produção com perspectiva de industrialização do palmar, cacau e café.

A execução, nalguns casos, dos projectos enumerados, admitiu, pode estar atrasada, por razões pontuais. Entretanto, assegurou que “não há nada que possa pôr em causa a vontade do Executivo do Presidente João Lourenco de contribuir para melhorar as condições de vida das populações da província de Cabinda”.

O Vice-Presidente da República informou que titulares dos departamentos ministeriais e deputados dos grupos parlamentares (MPLA, UNITA, PRS, FNLA, CASA-CE), que integraram a sua delegação tomaram contacto directo com a situação dos projectos visitados ou em carteira, salientando que os parlamentares, no exercício das suas “nobres funções”, serão bons porta-vozes do que está a ser feito na região mais ao norte do país.

Bornito de Sousa garantiu que o próximo aniversário do Dia da Paz e Reconciliação Nacional deverá ser festejado de modo “distinto”, porque 2022 será marcado por dois importantes eventos: as eleições gerais e o centenário do nascimento do primeiro Presidente do país, Agostinho Neto.

Integraram a delegação do Vice-Presidente da República a Cabinda os ministros dos Transportes, Administração do Território, Construção e Obras Públicas, Energia e Águas, além do presidente do grupo parlamentar do MPLA, na qualidade de coordenador do grupo de acompanhamento do Bureau Político daquele partido à província de Cabinda.

Fonte: Jornal de Angola

 

Copyright ©️ 2021 MwangoBrain | Todos os direitos reservados