Notícias

COMISSÃO NACIONAL MULTISSECTORIAL PARA A SALVAGUARDA DO PATRIMÓNIO CULTURAL MUNDIAL

COMUNICADO DE IMPRENSA

 

Sob orientação de Sua Excelência Bornito de Sousa, Vice-Presidente da República, a Comissão Nacional Multissectorial para a Salvaguarda do Património Cultural Mundial reuniu-se na sua 7ª Sessão Ordinária, esta quarta-feira, 22 de Dezembro de 2021, para apreciar, entre outros assuntos em agenda, a proposta de criação do Museu Etnográfico das comunidades tradicionais do Sul de Angola, com base na requalificação e reconversão do Cine Estúdio – Moçâmedes.

Com a requalificação e reconversão do referido equipamento, um edifício construído em 1974, o futuro Museu formará, junto com o Instituto Nacional de Estatística e a zona da Torre do Tombo, um belo conjunto arquitectónico, que vem sendo objecto de acompanhamento pela Comissão Nacional Multissectorial para a Salvaguarda do Património Cultural Nacional, tendo em vista a sua classificação como Património Cultural Nacional.

A implementação das recomendações da Agência das Nações Unidas para Cultura, Educação e Ciência (UNESCO) para Mbanza Kongo foi também objecto de apreciação da Comissão, destacando-se a redução do número de projectos de construção de casas e edifícios no Centro Histórico de Mbanza Kongo em comparação com o ano anterior, altura em que a Administração Municipal submeteu ao Comité de Gestão Participativa do Centro Histórico de Mbanza Kongo cerca de 20 projectos de construção para efeito de avaliação.

Deste número, emitiu 18 pareceres favoráveis, em alinhamento com os padrões de construção de edifícios no Centro Histórico de Mbanza Kongo e na sua zona tampão, cujo objectivo é evitar modificações na paisagem e nos traços urbanísticos do centro susceptiveis de comprometer a conservação do local, que tem previstas acções regulares de conservação preventiva, limpeza e saneamento aos principais monumentos e locais arqueológicos ali existentes, assim como a manutenção, protecção, vigilância e investigação científica.

Entretanto, o Comité de Gestão Participativa do Centro Histórico de Mbanza Kongo pretende encontrar propostas técnico-científicas para a conservação preventiva da árvore sagrada “Yala Nkuwu” face ao seu envelhecimento e mitigar o risco que representa o surgimento de fissuras nas ruínas de Kulumbimbi.

Os membros da Comissão foram igualmente informados sobre os detalhes da 2ª Edição 2021 do Festival Internacional de Cultura Kongo “Festikongo”, que este ano realizou-se num formato mais restrito devido às limitações impostas pela Covid-19. As actividades do Festikingo 2021 resumiram-se ao Lembo (Ritual Tradicional de Bênçãos para a abertura oficial do evento), uma palestra sobre a Vida e Obra da Profetiza Kimpa Vita, culto ecuménico e visitas guiadas aos monumentos e sítios históricos do Centro Histórico.

O órgão a quem compete conservar e promover a gestão participativa do Património Cultural Nacional foi informado sobre o acto simbólico de descerramento do Busto do Príncipe Dom António Manuel Nsaku Ne Nvunda “Negrita”, primeiro Embaixador do antigo Reino do Kongo junto do Estado do Vaticano, no âmbito das comemorações do 46º aniversário da Independência Nacional.

A comissão tomou conhecimento da Elaboração do Plano de Gestão de Mbanza Kongo (2022-2026), cujo fito é definir uma estrutura de gestão eficaz, tendo em conta a realidade do local e as estruturas da zona histórica, bem como acções permanentes de conservação, protecção e restauração dos elementos culturais e naturais do Centro Histórico de Mbanza Kongo.

A Comissão Nacional Multissectorial para a Salvaguarda do Património Cultural Mundial saudou a recente classificação da Rumba Congolesa como “Património Imaterial da Humanidade”, aprovada pela Conferência geral da UNESCO, ao declarar este género musical, que é também um estilo de dança comum em áreas urbanas da RDC e República do Congo, como “parte essencial e representativa da identidade do povo congolês e sua diáspora”. Sobre o tema, destacou a participação de artistas angolanos na génese da Rumba Congolesa.

Angola sente-se parte desta relevante conquista que coroa os esforços empreendidos pelas autoridades dos dois países, RDC e Congo Brazzaville,  no quadro de uma candidatura conjunta junto da UNESCO. Além do natural regozijo e satisfação, a Comissão entende ser um incentivo ao processo em curso de criação dos pressupostos e preparação da futura candidatura do Semba e da Kizomba, à Lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade, tal como outros géneros musicais e danças pelo mundo, como o Tango (Argentina), o Samba (Brasil), o Fado (Portugal), a Morna (Cabo Verde) e a Rumba Cubana.

Finalmente, num quadro de restrições por causa da Covid-19, a Comissão tomou conhecimento de um Projecto de Digitalização dos Museus e Sítios Históricos angolanos, que se propõe disponibilizar visitas virtuais ao património cultural nacional e mundial com interesse para a pesquisa académica, investigação científica e também para o turismo, funcionando igualmente como incentivo às visitas presenciais.

 

COMISSÃO NACIONAL MULTISSECTORIAL PARA A SALVAGUARDA DO PATRIMÓNIO CULTURAL MUNDIAL, Luanda, 22 de Dezembro de 2021.-

Copyright ©️ 2021 Órgãos de Apoio ao Vice-Presidente da República (OAVPR) | Todos os direitos reservados